18 de abr de 2010

Todo o possível

No sábado, o Espanyol e a Real Federação Espanhola de Futebol fizeram todo o possível para que o Barça saísse de campo sem fazer gol, pela primeira vez no ano. O empate em 0 contra o rival Espanyol, disputado em Cornellà-El Prat, não tira o Barça da liderança, mas mostra que fazem todo o possível para lhe impedirem de alcançar o bicampeonato.

Para começar, o goleiro camaronês Kameni havia sido expulso na última partida de seu clube antes do Derby, na derrota por 3 a 1 contra o Racing Santander, em Santander. Por algum recurso excuso, o Espanyol conseguiu contar com o jogador para o jogo de sábado. Sem dúvida, um feito ridículo para a Real Federação. Em outras palavras: quando foi a última vez que um jogador expulso em uma partida pôde jogar a seguinte, pelo mesmo campeonato? Algo não me cheira bem.

Em segundo lugar, o árbitro Undiano Mallenco, que foi extremamente caseiro: deu à torcida o que ela pedia: uma expulsão quando o Barcelona estava melhor em campo. Dani Alves tomou o segundo cartão amarelo, após se aproximar de Callejón, que se projetou para a frente, em uma atuação digna de um Globo de Ouro. Em realidade, Dani Alves não havia merecido sequer o primeiro cartão. Já do lado do Espanyol, que bateu o jogo todo, não houve uma expulsão, mesmo após a entrada violenta de Luís Garcia em Keita, ou as diversas entradas violentas em Xavi.

Enfim, o Espanyol jogou bem o que se propôs a jogar: apenas defender. E Guardiola armou muito mal o time. O ataque deveria ter sido Pedro, Messi e Bojan, e não Maxwell, Messi e Pedro.

Um empate terrível para o Barcelona: mesmo permanecendo na liderança, perde o direito ao tropeço que possuía.

Desconectando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário