26 de ago de 2008

Quanta babaquice!

Estava com muita coisa na cabeça pra falar. Entretanto, resolvi falar só sobre babaquices que eu ouvi ou li recentemente.

Vou começar por um pedaço de um livro do E.J. Hobsbawm. Em "A Era dos Extremos", ainda na introdução, o indivíduo diz algo mais ou menos assim: se o século XX foi uma bosta na questão bélica (o século mais assassino da história, mais ou menos assim que ele diz), mas foi maravilhoso do ponto de vista tecnológico, então por quê havia mais apreensão que esperança na virada do século? Vou te explicar do modo mais estúpido que eu conseguir: o teu computador, por mais pornografia, sacanagem ou sexo bizarro que possa te fornecer, não (pelos menos até agora) pode substituir teu cônjuge (ou teu cachorro, tua cabra, teu galho de árvore, teu buraco na parede) morto na guerra. Mas, por outro ponto de vista, devia ser comemorada, mesmo, a virada do século, né? Afinal, se esse foi o século mais assassino da história, isso significa que não pode ficar pior. Eba, vamos festejar, gente!

A segunda babaquice eu li num outro blog: celular é pior à saúde que cigarro. A questão é bem simples: em quem eles fizeram os testes para provar isso? É que eu acho meio difícil um rato falar no celular, ou um cachorro tragar um pouco de nicotina...

A terceira babaquice: a satanização da seleção masculina de vôlei. Acontece. Eu sei que o ouro e o bronze se ganham, mas a prata se perde. Contudo, tínhamos, possivelmente, o melhor levantador do mundo (Ricardinho), e o cara teve que ser substituído por um ótimo levantador, mas que não é tão talentoso (Marcelinho). Que não digam que faltou gás ou força de vontade do nosso lado. Ou que sobrou sorte no lado americano. O time americano foi, novamente, superior.

A quarta babaquice: alguém ter torcido contra o Phelps. "Americano é tudo cuzão", eu ouvi. Então quer dizer que o país se estruturou (por bem ou por mal) para ser o hegemônico e que o cara (Phelps) treinou pra caralho (óbvio que, também, ele tinha o melhor equipamento, mas não se esqueça de que a mãe dele o sustentou, assim como seus dois irmãos, absolutamente sozinha, apenas com o próprio esforço) e tu ficou em casa REZANDO pra que ele perdesse? Com todo o respeito, talvez não seja Phelps o cuzão.

A quinta (e última) babaquice (do dia): a Preta Gil. Há pouco eu li no blog dela ela se perguntando algo como "o que acontece que faz com que a Mulher Melancia seja chamada de 'gostosa' e eu sou sempre humilhada?" Francamente, por mais que as medidas do busto e da bunda de ambas sejam parecidas, digamos que há, na Preta Gil, um grande intervalo no meio que compromete a "fama" de seu corpo. Mas que é ridículo alguém ter a bunda como profissão por tanto tempo, isso é.

Desconectando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário