18 de ago de 2008

Olimpíadas

Os Jogos Olímpicos bem que poderiam receber o prêmio Poubelle esse mês. Mas, talvez eu faça isso daqui a quatro anos. Na verdade, o que merece destaque mesmo é a atuação do Brasil.

Até o presente momento, estamos, no quadro de medalhas, atrás de gloriosos países, verdadeiras potências do esporte mundial, como Quênia, Jamaica, Etiópia, Geórgia, Cazaquistão, Zimbábue, Azerbaijão (minha maior surpresa, não esperava que um país que é apenas um deserto de fogo pudesse estar em 31º lugar), Indonésia e Mongólia. Bom, pelo menos a Indonésia é a quarta maior população do mundo, uma posição à frente do Brasil. O único país que tem mais vergonha que a gente, nesse momento, é a Índia, que só conquistou UMA medalha de ouro e nada mais.

Pelo menos, o Brasil já está em duas finais, uma no Vôlei de Praia Masculino e outra no Futebol Feminino; e isso garante mais duas medalhas para o Brasil, pelo menos de prata. Considerando a pior das hipóteses, o Brasil passaria, pelo menos temporariamente, Azerbaijão, Indonésia e Mongólia.

Para encerrar, gostaria de deixar bem claro duas coisas. Primeiro, não critico a maior parte dos atletas brasileiros (à exceção daqueles a quem faltou garra, como os ginastas e as raparigas do Handball, as quais disperdiçaram as oportunidades de ganhar seus jogos e passar pra próxima fase), pois o problema do Brasil não é de talento, mas de estrutura. Segundo, não falarei sobre as belas competidoras que eu pude observar durante a competição, apenas pra não acharem que estou tarado no momento em que escrevo.

Parabéns Cielo, parabéns Judô. Espero poder completar minhas parabenizações mais pra frente.

Desconectando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário