31 de jul de 2008

Semana em Sampa (parte 2 de 4)

Nada eh como era. Fui a Sao Paulo, e nada mais eh como costumava ser. Nao que a cidade agora pareca estranha a mim. Muito pelo contrahrio, minha familiaridade com ela eh a mesma de antes. Mas a relacao com as pessoas de lah mudou muito.

Antes, eu nao conseguia sair de casa sem encontrar alguem conhecido. Passei 7 dias lah, e as pessoas conhecidas que eu encontrei eram apenas aquelas com quem eu jah tinha marcado de me encontrar. O elemento-surpresa, dessa vez, nao houve. Mas houve o elemento-decepcao.
Decepcao. Se alguehm estah realmente lendo esse blog, irah estranhar. Ninguehm me decepcionou de verdade. Tirando eu mesmo. Decepcionei-me, pois passei sete dias lah, e nao consegui encontrar todos que queria. Nao apenas por minha responsabilidade - as pessoas teem suas prohprias vidas pra viver. Ou seja: horahrios nao bateram. Finalmente eu me dei conta do maior problema nas relacoes com meus verdadeiros amigos - a maldita relacao tempo-espaco. Pelas minhas coordenadas, soh havia possibilidade de encontrar alguehm durante o dia. Mas hah amigos que eu soh poderia encontrar durante a noite.

Hah tambehm gente que eu nao poderia encontrar. Por motivos pessoais. Nada que eu queira explicar. Digamos apenas que seria meio constrangedor (para mim).

Foi quando eu finalmente percebi o quanto minhas relacoes na minha terra natal esfriaram. Hah quem diga que a culpa eh inteira minha. Talvez seja. As conversas nao sao mais como costumavam ser, sobre pequenos elementos cotidianos e sem importaancia. Sao agora sobre assuntos grandes e gerais, sem nunca os aprofundar muito. Nao faz mais lohgica. E quando se acabam os assuntos gerais, torno-me a pessoa mais desinteressante do mundo. Pois nao hah nada mais a dizer - os assuntos cotidianos comecam a parecer patehticos.

Considerando as relacoes que eu tenho em Niterohi, talvez eu tenha esfriado nao soh o laco que me une a meus amigos, mas tambehm tenha me esfriado a mim mesmo, e, num momento esquizofreenico, o laco que me une a mim mesmo.

Desconectando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário