5 de jul de 2010

Em defesa de Messi.

Ok, o craque argentino não fez gol na Copa. Nem brilhou como se esperava que brilhasse. Mas jogou muito bem nas quatro primeiras partidas da Argentina e só não o fez contra a Alemanha porque não teve como.

Maradona armou um esquema suicida. Zagueiros fracos. Preteriu Cambiasso e Zanetti para que Verón se sentisse confortável. E acabou deixando "La Brujita" no banco. Samuel também foi levado ao banco. Diego Milito, ótimo atacante da Internazionale foi outra vítima de "El Pibe" - em seu lugar, atuou o inconstante Higuain.

Sem Verón, com dois alas (Maxi Rodriguez e Di Maria) e um volante apenas de marcação (Mascherano), Messi se viu obrigado a fazer uma função à qual não estava acostumado. No Barcelona, Xavi realiza essa função. Messi se viu acuado: dois volantes encima dele. Quando caía para sua posição correta, havia um volante e dois defensores. Não havia saída. Precisaria esperar que os alemães errassem. Mas quem errou foram os argentinos, quatro vezes.

No Barcelona, parece até fácil: porque se marcam apenas o Messi, sobram Xavi, Iniesta, Dani Alves, Pedro e Ibrahimovic (e, agora, até David Villa). Mas se o fazem na Argentina, resta apenas Tévez. No máximo Maxi Rodriguez. Não havia como a Alemanha não engolir a Argentina desse jeito... Messi terá de esperar até 2014.

Desconectando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário