26 de fev de 2010

Conselho

Não acredite no que as pessoas dizem em momento de barganha. Acredite no que elas demonstram e em seus atos-falhos; e certas brincadeiras, se te parecerem verdade, provavelmente são. Acabo de ter uma prova definitiva de que há coisas que as pessoas nunca mudam em si mesmas.

Não quero continuar o assunto. Só quero dar um recado ("ouça um bom conselho/que eu lhe dou de graça"): Nunca acredite quando alguém diz que irá mudar. Se a pessoa falou que irá mudar, então ela se sentiu na obrigação de dizer, não de mudar. Ela prometeu apenas pra te controlar, pra te manter junto. Não caia nessa: CILADA, eu te aviso. Se uma característica (ou um conjunto delas) de um ser amado te tem deixado irritado o suficiente a ponto da outra pessoa te prometer mudar, acredite, essa característica não sumirá, mesmo que a pessoa queira.

Algumas pessoas já traçaram seus destinos. Elas nunca poderão ser dobradas, por mais que lhe prometam amor. Elas inclusive te culparão por ter tentado tirá-las do caminho que desejavam. Se lhes tiveres amor, e se tiveres amor por ti, esqueçam-nas. Dou-te toda a certeza: se estiveres na dúvida, prossiga mesmo assim; em pouco tempo terás a confirmação de teus pensamentos originais. Pode ser doloroso. Pode te trazer malefícios. Pode te deixar quase louco. Mas (talvez pouco) antes de ficares efetivamente demente, tu receberás aquilo de que necessitas: a notícia de que estavas certo.


Bom Conselho - Chico Buarque

Ouça um bom conselho
Que eu lhe dou de graça
Inútil dormir que a dor não passa
Espere sentado
Ou você se cansa
Está provado, quem espera nunca alcança

Venha, meu amigo
Deixe esse regaço
Brinque com meu fogo
Venha se queimar
Faça como eu digo
Faça como eu faço
Aja duas vezes antes de pensar

Corro atrás do tempo
Vim de não sei onde
Devagar é que não se vai longe
Eu semeio o vento
Na minha cidade
Vou pra rua e bebo a tempestade
Vou pra rua e bebo a tempestade
Vou pra rua e bebo a tempestade



Desconectando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário